Antes de invadir um novo território, é preciso espioná-lo; entrar nele como um fantasma que não vai mais voltar. Comece com um café da manhã na padaria local. Faça um pedido comum, mas com uma pequena diferença que fará com que seja lembrado depois. Ouça as conversas, aprenda os nomes da pessoas e suas relações. Não fale com ninguém a não ser que falem você. Coma, agradeça e pague a conta. Em dinheiro.

Passeie pelas cercanias. Visite a banca de jornal, compre um cigarro varejo e peça um isqueiro emprestado. Seja chato, mas só um pouco. Sente na praça e curta o movimento. Veja as mães brincando com as crianças, os velhos jogando damas, os desocupados deixando o diabo fazer suas cabeças de oficina. Esteja lá, mas não seja um deles. Pelo menos por enquanto.

Dê um tempo até almoçar. Circule pelo supermercado e pelo comércio local. Compre uma coisa ou outra, mas nada que chame a atenção. Crie uma pequena confusão durante o pagamento. Erre a senha do cartão, confira o troco errado. Depois de tudo resolvido, peça desculpa e pergunte onde é bom de almoçar. Siga a sugestão.

Sente, peça uma cerveja e o cardápio. Leia as opções com calma mesmo se já souber o que vai pedir. Chame o garçom e faça algumas perguntas tolas, mas não pareça idiota, apenas distraído. Escolha o mesmo que outra pessoa estiver comendo perto de você e peça apontando para o prato dela. Quando o garçom estiver indo embora faça um sinal pedindo outra cerveja.

Quando o prato vier, pergunte se tem pimenta. Da boa. Regue o prato com ela e coma com voracidade entre goles de cerveja. Quando terminar peça umas cervejas para viagem e ao pagar a conta faça uma piada sem graça. Sorria constrangido junto com o garçom e vá embora.

Vá para casa e volte alguns dias depois. Refaça o ritual, variando a padaria, o comércio e o restaurante. Dessa vez pergunte o nome das pessoas, mas só fale o seu se perguntado.

Faça disso uma rotina, aumentando o grau de cumplicidade a cada visita. Quando a mudança chegar, já será tarde mais para eles. Eles saberão seu nome, seus gostos e lhe dirão ao vê-lo “O de sempre, doutor?”. Pronto. Missão cumprida. Você já será da área. Não se tornará apenas local, será O LOCAL.

Parabéns pela infiltração bem sucedida, agente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.