A maldição dos machos alfa wanna be

Estava conversando sobre os processos negação da realidade a que estamos submetidos pelas pretensas autoridades que foram eleitas para administrar as instituições públicas, quando me caiu uma ficha: todos os nossos problemas advém do ressentimento e da vontade de indivíduos ignorantes e incompetentes serem machos alfa. Uma gente que só leu a orelha dos livros do Jordan Peterson, não entendeu e considera que está numa cruzada pela retomada de um mundo patriarcal; um mundo conservador, onde o poder masculino não pode ser questionado nem pela realidade; um mundo onde eles tem o direito (de nascença) de serem líderes. Só que não.

O que mais levaria um sujeito a mover toda uma estrutura burocrática para defender o seu direito de não usar uma máscara? O que mais levaria um sujeito a tentar defender a honra que não tem pra proteger amigos e familiares que ele sabe serem corruptos? O que mais levaria um sujeito a botar em risco o equilíbrio da economia e das instituições políticas porque as pessoas não concordam com ele? O que mais levaria um sujeito a estimular a propriedade de armas por toda a população só pra lhes dar a segurança (fálica) de carregar fuzis pois morrem de medo do mundo?

Não sei pra vocês, mas pra mim parece que esses machos alfa de hoje vivem de mimimi.

O que realmente me incomoda nesse povo é que eles querem controlar os processos e governanças para enforçar uma superioridade que eles acham ser natural. Querem mexer em leis que privilegiam a equalidade ou promovem um nivelamento de oportunidades sociais em nome de uma meritocracia mezzo biológica, mezzo divina. Um divino direito dos reis para fracassados; para o capitão que foi expulso do exército; para o herdeiro milionário que conseguiu falir um cassino.

Nesse mundo de flocos de neve, esses são os mais frágeis: os que acham que o querer é suficiente para justificar o seu direito de conseguir. Mas, sorte (ou azar) nosso, eles são incapazes e, mesmo criando uma bruta confusão, tenho certeza, nunca vão conseguir o que querem. Porém precisamos nos manter atentos e evitar esses arroubos destrutivos de pequena macheza. Afinal, mesmo dentro dos betas que assassinaram o pai primevo, em Totem e Tabu, e que criaram a civilização, a moral e a cultura, como uma forma de refrear nossos instintos e vivermos em sociedade, devia ter um grupo de fracassados que sonhavam ser o Totem. Nunca serão. Nunca serão.

E, para eles, o recado de Orange is the New Black.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Close